COMO VOCÊ VÊ DEUS?

As raposinhas que destroem a Família!
agosto 20, 2017
O Papel do Marido
outubro 1, 2017

“Naquele dia atentará o homem para o seu Criador, e os seus olhos olharão para o Santo de Israel.” (Isaías 17.7).

Seria fácil amar a Deus sobre todas as coisas, reconhecer que o amor Dele nos cerca, que a sua misericórdia se renova todas as manhãs sobre as nossas vidas e que a Graça do nosso Senhor é o que nos mantém vivos. Seria fácil andar nos caminhos de Deus e servi-LO com amor e dedicação… Se não fosse um pequeno detalhe… Um pequeno detalhe que nos embaça a visão. Nossos olhos muitas vezes veem a Deus de uma maneira turva e nebulosa. E o motivo, é esse pequeno e aparentemente insignificante detalhe: O relacionamento que tivemos com o nosso pai (terrestre). Sim, a relação que tivemos com o nosso pai, influencia a maneira como vemos Deus em nossa vida.

Se quando crianças, tivemos um pai ausente, indiferente e que nos dedicava pouco do seu tempo, teremos a tendência de achar que Deus também está longe, é ausente e indiferente a nós. Aí, viveremos frustrados em nossa busca pelo Senhor, pois a sensação de que não conseguimos nos aproximar Dele será algo que nos afetará profundamente em nossa caminhada espiritual.

Se por outro lado, tivemos um pai que nos batia, mal tratava ou castigava em excesso, teremos a tendência de acharmos que qualquer passo fora da “linha” e Deus vai nos fuzilar! Infelizmente, uma grande parte dos cristãos tem esse medo de Deus. Não é o Temor santo que a Bíblia nos orienta a termos em relação ao Senhor. Mas um medo contínuo e infundado, que paralisa muitos cristãos em seu crescimento espiritual.

Poucos tiveram um pai amoroso, atencioso, que lhes dava o carinho e a atenção necessários durante a infância. Filhos que desenvolveram um relacionamento sólido e próximo com seus pais são abençoados. Pois tem facilidade em se relacionar com Deus também.

E aqueles que nem ao menos tiveram um pai presente em suas vidas, ou porque tenha morrido, ou ido embora… Talvez tenham até dificuldade em acreditar que Deus exista. Infelizmente, o nosso relacionamento com o nosso genitor paterno, reflete grandemente em nosso relacionamento com Deus. Digo infelizmente, porque a maiorias das pessoas não tiveram o relacionamento que gostariam de ter tido com seus pais, e passam uma vida inteira, tentando se relacionar com Deus.

Deus já nos criou com sede interna por Ele. Todos nós fomos criados por Suas mãos, e enquanto não nos encontrarmos num relacionamento sólido e íntimo com o nosso criador, teremos a impressão de não termos uma vida plena. Teremos sempre a sensação de que algo está faltando.

Ó Deus, tu és o meu Deus; ansiosamente te busco. A minha alma tem sede de ti; (Salmos 63.1a). 

Que o Espírito Santo possa lhe abrir os olhos, quanto ao seu relacionamento com o Senhor, e se por algum motivo, as feridas que o seu pai tenha lhe causado, estejam lhe impedindo de conhecer a Deus de verdade, que você seja curado, em Nome de Jesus!

Deus abençoe a sua vida e a sua família!

Prs Alexandre e Rosileni Mansano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *